Incesto (122)


A sobrinha linda da minha mulher

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit

Olá!  O que segue nesse texto se trata de um relato real e por esse motivo os nomes verdadeiros serão preservados pra evitar problemas.

Quando conheci minha atual mulher ela já tinha uma filha e uma sobrinha q chamarei de vick,ambas com 12 anos.

Eu e minha mulher nos apaixonamos e logo fomos morar juntos e com isso essa sobrinha dela frequentava muito nossa casa.

Até aí tudo bem nada demais até pq elas já conviviam bastante juntas na casa dos pais de minha esposa quando ela morava lá e eu não podia nem tinha pq impedir as suas visitas.

Só q com isso o tempo  foi passando e elas crescendo e Vick se transformando numa menina linda e sem vergonha.

Passei a reparar q das vezes q ela dormia lá e eram muitas vezes na semana q quando eu transava com minha mulher e pelo fato dela ser bem escandalosa no outro dia Vick ficava me olhando diferente, com uma arzinho sapeca tipo de curiosidade e com o tempo foi ficando nítido as suas intenções.

Ela não tinha nenhuma preocupação com as roupas q usava e nem com soutien aliás ela não usava isso em casa aí imagina né.

E o tempo foi passando e as coisas ficando cada vez mais exitante e perigosa,nas festas da família ela insistia em dançar comigo apesar de eu não ser nenhum pé de valsa mas sou desinibido e quando tocava funk ela de um jeito mágico sempre estava perto de mim e ficava me roçando e fui ficando cada vez mais louco. Num fim de semana desses q vc acha que tá dando tudo errado vai q o inesperado acontece, minha esposa vai as pressas pra outra cidade pois sua vó está muito mal e ela acompanha a mãe na viagem e eu ficaria sozinho, disse ficaria. Desde q chega a noite de sábado eu só,saio e vou tomar uma vodka com uns amigos e quem pra minha surpresa passa? Isso mesmo a Vick toda saidinha com um vestidinho de matar qualquer um, quando ela me vê não se contém me dá um abraço e eu dou- lhe um bjo no pescoço já bem safado pra ela entender minhas intenções, a danada se arrepia toda e avisa que precisa ir na minha casa pegar o carregador do celular q esqueceu lá. Eu dei-lhe a chave e disse vai, ela disse q não iria sozinha pois tinha medo….Aí saquei logo, deixei meus amigos e fui, ngm desconfiou de nada pq sempre cortei qualquer tipo de comentários em relação a ela e sempre demonstrei respeito. Chegando em minha casa ela foi entrando sentou no sofá e me olhou com uma cara q só vendo. Falei pra ela pegar logo o carregador pois queria voltar e ela disse q não tinha carregador nenhum…Já não deixei ela falar mais nada, o tesão e a vodka fizeram eu perder todo o temor e fui pra dentro, dei- lhe um beijo já indo pro pescoço e peitinhos q por sinal estavam apontando céu de tanto tesão. E fui descendo e chupando aquela delícia toda, quando cheguei na bucetinha, aquele melzinho escorrendo q deliciosa! dei um cheirada pq eu gosto do cheiro de buceta, nosso quase gozei. Chupei chupei q em pouco tempo ela estava gozando e daí foi uma atrás da outra, coloquei ela de  4 e quando fui enfiar ela parou e disse que não podia pois era virgem e a mãe dela pegava no pé pra se manter assim, e se perdesse o cabaço teria q falar com quem foi.Nossa fiquei com uma sensação desoladora aí ela com aquela carinha de piranha disse, mas vc pode socar tudo na minha bundinha q eu adoro. Fui no céu e voltei, fui pegar um lubrificante e ela não deixou, falou que basta dá uma lambida q ela adorava sentir dor e pela grossura do meu kct iria se viciar. E assim o fiz foi entrando e a cachorra se tocando e gemendo quando entrou a metade ela começou a se tremer gozando novamente empurrei tudo e ela gritou e não parei mais até encher aquele cú de leite. Que foda! Depois desse dia e até hj já se passaram 3 anos eu como essa sobrinha, agora como a buceta também pq ela tá noiva, mas pelo menos duas vezes na semana agente de pega e ninguém desconfia.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit



Família Sem Preconceitos – Parte IV

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit
  • Fetiche: Observando mãe e pai transando – Parte IV;

  • Personagens: Lucia (Mãe), Pai, Ana (Filha), Marta e Pedro;

  • Características:

    • Seios fartos,

    • Anca grande,

    • Bunda enorme;

Sinto por ter interrompido meu último relato, mas não sou de ferro e quando começo a me lembrar daqueles dias…uau… Sou obrigada a enfiar meu dedo na boceta e na frente do meu computador mesmo tocar aquela siririca!

Hoje não vai ser diferente, já estou toda molhada.

Quando parei a ultima vez, meu pai estava socando com vontade na buceta da puta da minha mãezinha enquanto sua amiga gravida (a vaca da marta) levava ferro do marido.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit



Família Sem Preconceitos – Parte III

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit
  • Fetiche: Observando mãe e pai transando – Parte III;

  • Personagens: Lucia (Mãe), Pai, Ana (Filha), Pedro e Marta;

  • Características:

    • Seios fartos,

    • Anca grande,

    • Bunda enorme;

Para quem vem acompanhando meus relatos, vou continuar descrevendo como eu: Ana, descobri na infância meu gosto pelo voyeurismo.

Principalmente ouvindo meus pais transarem como eu fazia escondida no banheiro, aonde as paredes eram mais finas e eu podia me masturbar também.

Não preciso dizer que aquilo estava virando uma obsessão e eu não conseguia parar de imaginar como seria vê-los foder ao vivo.

Era o que eu mais queria…

Certa noite consegui muito mais do que imaginava e e isso que vou relatar agora: era uma noite de sábado e fui tocada cedo para a cama com a desculpa que um casal de amigos veria nos visitar.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit



Família Sem Preconceitos – Parte II

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit
  • Fetiche: Observando mãe e pai transando – Parte II;

  • Personagens: Lucia (Mãe), Pai, Ana (Filha);

  • Características:

    • Seios fartos,

    • Anca grande,

    • Bunda enorme;

Meu nome é Ana e no meu conto anterior descrevi exatamente o que acontecera na minha juventude e que me transformara na vagabunda que sou hoje e que adoro ser.

Como escrevi antes, eu havia observado minha mãe Lucia, chupando o enorme cacete do meu pai e não estava contente.

De repente, me dera conta que olhar duas pessoas tão próximas na intimidade havia me enchido de tesão e eu queria mais e mais…

De repente, me vi escutando ouvido colado nas paredes, tentando perceber quando eles fodiam.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit



Família Sem Preconceitos – Parte I

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit
  • Fetiche: Observando mãe e pai transando;

  • Personagens: Lucia (Mãe), Pai, Ana (Filha);

  • Características:

    • Seios fartos,

    • Anca grande,

    • Bunda enorme;

Me chamo Ana, hoje tenho 37 anos, sou casada e o que vou contar se passou há exatamente 22 anos e faz parte da minha juventude.

Acreditem que tudo que vi e ouvi naqueles tempos me tornou o que sou hoje. Uma pessoa aberta ao sexo e que sabe aproveita-lo ao máximo.

A principal razão disso tudo não poderia deixar de ser minha mãe: Lucia.

Na época ela já tinha seus quarenta e cinco anos, era uma mulher robusta, de seios fartos e ancas grandes ( para não dizer uma enorme bunda ).

Se ela era motivo de olhares cobiçosos na época eu não fazia ideia e nem tão pouco como aproveitava seu corpo e deixava que outros se aproveitassem dele.

Ela e meu pai eram casados e para mim parecia que formavam um casal feliz. ( o porque eu descobri bem depois) sou filha única e lembro-me como tudo começou.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit



No Cinema com Meu Irmão

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit

Esta é uma história verídica, que aconteceu entre meu irmão e eu, quando éramos adolescentes. Lembro-me como se fosse hoje, e aí me vêm sensações indescritíveis de prazer, e, muitas vezes, quando relembro o acontecido, chego até a tocar uma siririca e gozo intensamente. Hoje estou com 38 anos, sou casada, tenho um filho, e muitas vezes relembro o fato que passarei a narrar mesmo quando estou deitada na cama, ao lado de meu marido. Nunca contei a ninguém o que se passou entre meu irmão eu naquela tarde, há cerca de vinte e cinco anos. Mas, vamos aos fatos.
Tinha eu, Luísa (este é o meu verdadeiro nome), cerca de treze para quatorze anos, era uma garota meio acima do peso, meio “gordinha”, como diziam, mas com seios pequenos e uma bunda bem proporcional.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit



Brincando com meninas! tirando o cabaço de Aline

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit

BRINCANDO COM MENINAS – TIRANDO A VIRGINDADE DE ALINE
PARTE 1
Ola! a todos.
Acessando a internet me deparei com estes sites de contos, por curiosidade comecei a ler alguns relatos de pessoas que contam suas experiencias e segredos, relatam coisas que elas não tem coragem de falar abertamente com outras pessoas, talvez por medo das criticas ou algo mais. ao ler um conto que se trata de insesto me deparei com uma realidade que aconteceu comigo a alguns anos atras.
vou lhes contar um fato que aconteceu na minha vida no ano de 1998."tive um relacionamento que durou 10 anos, e desse resultou em 2 filhos: um menino ja com 11 anos e uma menina de 9 anos este relacionamento não deu certo e acabamos nos separando".
meu filho veio morar comigo e a menina ficou com a mâe, anossa convivencia era muito boa e minha filha vinha sempre na minha casa e nas ferias da escola. Passou-se 2 anos e eu havia arrumado uma namorada e minha filha não aceitava que eu tivesse outra mulher e foi nessa epoca que aconteceu este fato.
Era epoca de ferias escolares, como de costume minha filha veio passar uns dias comigo, ja tinha completado 11 aninhos. minha mâe e meu filho marcaram uma viagen e a Aline, não quiz ir com eles queria ficar comigo, apos deixar eles na rodoviaria eu e Aline fomos passeiar e nos divetir, pois era ferias; nos divertimos bastante e logo resolvemos ir embora pra casa.
passando por uma locadora, aluguei uns filmas pra nos assistirmos, depois de ver alguns filmes e fui tomar banho e descançar um pouco no meu quarto, e Aline ficou na sala, como de costume durmo sem roupas,pelado mesmo. Direpente Aline entra no quartome pedindo pra se deitar comigo para ficarmos conversando, ai notei que ela havia tomado banho e estava enrolada so de toalha completamente nua. Ela era muito bonita, seu corpo em formação pequeninos seios,bundinha durinha.
_ Ela se deitou e me falou!
_Papai! você pretente mesmo se casar novamente?
_Eu respondi que no momento não. nesse instante ela tira o lençol que me cobria e pulou sobre mim e dizendo que iria fazer o que ela tinha desejo e que era pra eu fica quieto e não me mexer e deixar acontecer.
_Eu indaguei! e ela com tom de voz aspero disse: fica quieto e calado.
_ Logo ela começou a me alisar e beijar meu rosto e foi descendo ate chegar no meu pau e foi chupando devagar e aquela imagem que eu estava vendo foi me fazendo ficar excitado, vendo aquela meniniha me chupando e eu ja estava com muito tesão, meu cacete duro que quase não cabia em sua boquinha. nesse momento ate esqueci que ela era minha filha e pedi pra se virar com a bundinha coladinha no meu rosto.
Começei a chupa-la tambem olhando aquela bocetinha pequena na minha boca, não aguentei e a chupei bastante, degustando o sabor de sua xoxotinha rasadinha, lisinha sem pelos, estava me deliciando com todo aquilo, passei a lingua nela inteirinha e chupando gostoso aquele cuzinho e sua xoxotinha virgem.
_ah! que delicia, eu tava delirando com aquela situação.
Continuamos por alguns minutos aquela chupação, direpente ela se lavanta e me pergunta!
_Será que eu aguento essa rola grande e grossa todinha dentro de mim!
_Eu disse: se for com jeitinho caberia!
Puxei ela pelo braço e deitei ela na cama, abri sua pernas e fiquei chupando sua bocetinha, ela ja estava bastante excitada, gemendo e se contorcendo e eu não aguentava mais de vontade enfiar minha rola naquela delicia de xoxotinha. nesse momento ela começou a falar e gemer ao mesmo tempo me pedindo; entera sua rola nessa grutinha, ela ta louca pra ser arrombado por esse pauzão! vai! enfia! enfia tudo, eu aguento..
Comecei a brincar com o cacete na sua xana pra baixo e pra cima, eu tava com tanto tesão fiu enpurando devagarinho, forçando a entrada e logo ela segura na minha bunda e força para entrar o pau nela, ai eu soquei com vontada e escutando seus gritos e gemidos e dizendo.
_ Vai paizinho! vai! me rasca toda, quero sentir tudo dentro, quero te dar muito, quero ser sua putinha! vai rebenta tudo! esse cabaçinha é todinho seu, me come, me fode gostoso. ouvindo ela gritando,gemendo fui ficando com mais tesão ainda, bombava…bombava cada vez mas rapido e sentindo aquela bocetinha se contrair com as bombadas, logo percebi que ela se erguia,se contorcia e gemia cada vez mais alto, quando ela se erguel novamente e deu um grito forte e me abraçando apertado e falndo. _ gozei! gozeeeeei! gozei no seu cacete papai…._não aguentei aquela sensação, não resisti e gozei tudi dentro daquela bocetinho lambuzada de sangue e de porra, _mas!!! que delicia nunca tinha gozado daquele jeito foi intenso e maravilhoso.
ficamos deitados por alguns intantes e ela me dizia: _que delicia papai, foi maravilhoso dar minha pererequinha pra você. _ agora quero que você mete toda essa rola no meu rabinho,pois tenho vontada e desejo e sonho com você me emrabando, vai! paizinho mete a pica no meu cuzinho, eu ja pensativo com o que tinha acontecido, ouvi ela mais uma vez pedindo pra eu pega-la por tras. pensei ja que tinha acontecido!! dana-se o resto…
Peguei uma pomada, ela ficou de quatro comecei a fazer movimentoscirculares em volta do seu cuzinho.
_Ha que lindo cuzinho! massagiei bem para facilitar a penetração, ela se agarrou na cabeceira da cama e disse! vai logo, entera tudo. Coloqei o pau no seu rabinho e fui forçando, ja tinha entrado a cabeça e ela gritando que tava doendo, pedi pra ela segurar mais firme e se empinasse para aliviar a dor, quando ela se ajeitou eu segurei firma em sua cintura e enterei tudo de uma vez e ela gritando alto, gemendo muito.
Soquei tudo no rabinho dela, bombando rapido, meu pau parecia esta inchado la dentro, mas uma vez escuto sua voz tremula e dizendo. _ entrou tudo! você arrebentou meu rabinho, ta doendo muito, mas não para! bombeia mais so mais um pouquinho, soca tudo! tudo! soca mais…goza no meu rabinho,enche ele com seu leitinho quente, eu ja estava quase gozando, ela novamente se ergue e grita dizendo! gozeeeei denovo! gozeeeei.
Bombei mas alguns segundos e so senti um jato de porra saindo e paracia que meu pau tinha inchado e não queria sair de dentro. O gozo foi tão forte que eu segurei meu pau dentro do seu cuzinho, deitei em cima dela e adormeci e ela também.
Ao acordarmos, parecia que tudo foi um sonho,um sonho maluco,mas quando olho para o ldo veja minha filha peladinha daquela jeito, me bateu uma angustia, um remorso pelo que aconteceu. ela acorda e me ve pensativo!
_ta pensando no que! no que aconteceu.
_disse! que sim.
_ela! não fique assim, foi eu quem quis fazer tudo isso,não tem porque se preocupar, por que ninguém vai ficar sabendo é um segredo meu e seu ok!.
_ De agora em diante, quero fazer amor com você sempre! adorei perder meu cabaço com você papai!
_Ela se levantou e foi pro banho…
Depois desse dia tivemos varias transas, uma melhor que outra, foi a parti deste acontecido que eu passei e ter mais tesão por meninas.
Acabou se as ferias e ela foi embora, mas me falou! papai qualquer dia eu volto e vou trazer mais uma surpresa pra você, certo! concordei! realmente alguns dias depois ela me presenteou com uma bela surpresa. Mas essa historia fica para uma próxima oportunidade.

Essa foi minha historia, espero que gostem, pois daquela época ate hoje aconteceu vários fatos comigo e outras meninas, futuramente vou contar tudo a vocês.
[email protected]

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit



Brincando com as meninas! eu,minha filha e sua amiguinha.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit

Brincando com as meninas! Eu, minha filha e sua amiguinha.

Ola! novamente venho relatar mais um fato acontecido, com já havia dito no conto anterior, que minha filha tinha me ligado dizendo que viria me ver mas que não ia ficar pro fim de semana, e que me traria uma surpresa que eu iria gostar muito…. quando ela chegou eu estava na sala assistindi tv, pois não havia mais ninguem! ela me deu um beijo e falou.
-paizinho tenho uma surpresa pra você! eu perguntei o que era?
-e ela espere ai que vou busca-la!
-ela entrou na sala com uma menina com a mesma idade que ela 11 anos, uma linda moreninha, de corpo bonito, pele lisinha e de olhos esverdiados, linda mesmo….
– ela me apresentou a menina! papai! essa é a Patricia e ela queria muito te conhecer, dei um beijo no rosto da menina e dizendo! é um prazer te conhecer.
– e ela! diz, o prazer é todo meu!
– disse a elas pra ficar a vontade,pois já era por volta das 10:00 hs da manhâ, e que eu iria preparar alguma coisa pra gente comer, tudo pronto levei o lanche pra elas e me sentei no sofa, minha filha sentou do meu lado, pulou no meu colo de frente pra mim e me falou no meu ouvido: olha bem pra Patricia,vou pedir pra ela se levantar para você ver e depois me fala se gostou.
– ela pediu! e a menina se levantou. estava de saia e blusinha de tecido fino que mostrava bem o seu corpo, pequenos seios, uma bundinha bem durinha, respondi que tinha gostado muito, entao a menina me abraçou a pedido de minha filha e eu retribui o abraço… me levantei e fui ao banheiro, pois já esta me dando sinal de tesão ao ver aquela menina linda.
Quando voltei, Aline tinha colocado um filme porno, e as duas sentas assistindo. a amiguinha de aline estava de olhas fixados na tela. – de certo estava toda molhadinha! eu imaginei. me pediram para assistir com elas, me sentei entre as duas e a menina continuava de olhos vidrados na cena do filme e nem piscava: a cena era uma menina chupando o pau de um rapaz, que por sinal parecia muito gosto.
minha filha já nua e pediu pra que eu tirasse minha bermuda.. eu já excitado rapidamente tirei a peça de roupa, e a menina nem percebeu que estavamos pelados. aline se pos de joelhos e começou a chupar meu cacete, quando patricia olha e fala! " parece estar muito gostoso, deixa eu fazer tambem! deixa! eu disse: se você quiser mamar no pau do titi, pode vir.
– e ela tirando a roupa e dizendo : do titio não! do paizinho e ja caiu de boca junto com a aline me chupando gostoso. aquela sena para mim era maravilhoso, ver duas meninas de 11 anos. uma moreninha e uma loirinha me chupando, foi extremamente gostoso. o corpo da minha filhia eu havia me deliciado, mas aquela moreninha ainda não, mas queria me desfrutar daquele corpinho.
– eu pedi pra patricia ficar de quatro para eu ver sua bundinha, quando vi ela naquela posição, que tesão imenso eu senti, que bundinha linda, que bucetinha pequena, era do mesmo tamanho da de aline, mas moreninha; e eu já estava enfiando o dedo no cuzinho de aline. e perguntei a patricia se ela já havia feito aquilo! ela disse que ainda não, mas que tinha vontade de ver e fazer, pois a aline tinha contado a ela o que havia acintecido entre eu e ela, e que ela tinha insestido com alina, que queria me conhecer.
então disse a ela, que eu iria lhe ensinar tudo com jeitinho,pedi a ela que se deitasse no sofa para me chupar tambem, já que a alina estava com meu cacete na boca e ela começou a chupar junto com aline, e eu passando a mão na sua xoxotinha tentando colocar o dedo dentro, mas como ela era virgem estava dificil naquela posição.
chamei-as para quarto, pra podermos brincar a vontade , deitei na camo já de pau duro e falei para a aline sentar e cavalgar na minha pica e patricia sentada de frente para mim com as pernas abertas para que eu a chupasse… começei a chupar e degustar sua bocetinha pequena e quentinha! como era quente!! aline estava cavalgando na minha rola, como estava gostoso sentir aquela sensação intensa no momento, penetrando a xoxotinha apertada de minha filha e chupava outra bocetinha e a cada passada de lingua ela tremia e apertava sua xaninha na minha boca.
ela gemia muito de tesão, direpente senti seu gozo na minha boca! que gozo quente e gostoso,. alina subia e descia na pica, pedi pra ela sair para que eu penetrasse a bocetinha de patricia que ja estava lubrificada e que seria mais facil a penetração.
coloquei patricia de pernas abertas e coloquei na portinha de sua xaninha e fui empurrando devagar e ela dizendo que queria sentir meu cacete todo dentro de sua racha, não aguentei ouvir aquelas palavras e começei a enterrar minha rola, quando empurrei entrou a metade e patricia começou a gemer e chorar, fiquei mais excitado com o choro dela e segurei bem forte e soquei o resto da pica e senti quando ela se ergueu e ma apertando com as pernas.
continuei bombando e a cada estocada ela gemia mais alto. coloquei as duas de quatro ora enfiava na xaninha de aline outra ora na de patricia, fiquei socando a pica nas duas, sentindo que elas estavam quase gozando, pedi pra elas ficarem de joelhos e coloquei a pica entre a boca delas e gozei! como gozei gostoso, vendo as duas banhadas de porra e aquilo me deixou mais excitado.
não paramos so naquelas sacanagem, eu queria provar daquele cuzinho! disse a patricia que queria colocar minha pica no seu rabinho! -e ela não vai doer? disse que faria com jeitinho!.
– ela! se for com cuidado então eu deixo, mas se doer eu grito;como eu já havia penetrado o cuzinho de aline, ela foi a primeira que eu começei a brincar, aline ficou de quatro e patricia do lado chupando meu cacete, segurei na cintura de aline e fui penatrando seu rabinho para que patricia se sentisse mais tranquila, aline gemia bastante com minha rola dentro de cuzinho, tirava a pica do seu robinho e colocava na boca de patricia.
logo patricia estava já excitada vendo eu enrabar aline e falou: parece que não doe, não é!
eu disse que ela tinha que relachar, para não doer,ela fico de quatro e me disse para eu penetra-la, enfiando na sua xaninha e bombando devagarzinho e ela começou a se excitar dei algumas estocadas na xaninha dela e logo senti que ela havia gozado, pois meu cacete estava lambuzado de porra, percebi que ela ja estava no ponto de ser penetrada no rabinho.
como minha pica tava lubrificada com seu gozo, posicionei o pau no burraquinho, segurei ela bem firme e enterei de uma vez e firmei para ela não se mexer, ela deu um grito forte mas não adiantava pois a pica ja estava todo dentro do seu cuzinho e ela sentindo dor e prazer fiquei bombando, socando naquele cuzinho ja arrombado, eu com muito tesão, vendo as duas peladinhas e nos brincando a alguns minutos.
estava muito gostoso sentir aquela sensação de prazer e tesão, que nem notei que ja estava ficando tarde, fui bombando mais rapido que parecia que meu cacete estava pegando fogo socado dentro do rabinho de patricia, eu já estava quase gozando quando ela deu um grito dizendo, to gozando! vou gozar denovo! meu corpo ta tremendo! ai ta gostoso, soca mais, entera tudo, ta delicioso, ouvindo seus gemido e gritos não aguenei e gozei enchendo seu cuzinho de porra, como foi gostoso esse dia!!!!
ficamos deitados e pelidinhos juntinhos, depois fomos tomar banho. nos conversamos sobre o assunto acontecido, ela e minha filha, falaram que adoraram ser penetratas e que o dia foi muito gostoso e que haveria varias outras vezes pra gente brincarmos,e que guardariamos segredo de tudo. ficamos nessa brincadeira durante um ano, sempre acontecia, as dua ja estavam com 13 anos e ja eram muito experientes em trepar.
foi nesse epoca, que passei a gostar e ter tesão por meninas e ate hoje tenho tesão, basta eu ver uma menina de 10,11,12 e 13 anos que eu fico bastante excitado, depois que eu me casei, esse tipo de relação raramente acontecia, pois não podia contar para minha esposa sobre o assunto, mas mesmo com esse segredo guardado comigo, já ocorreu varios fatos com varias meninas… ate que um dia minha mulher descobriu sobre o desejo que tenho por meninas, quando ela me flagou brincando com uma menina de 11 anos.
mas isto é uma outra historia que vou lhes contar em outra oportunidade!
MENINAS, EU ADORO VER CONTOS OU FATOS VERIDICOS DE INCESTO OU TRANSA COM GAROTINHAS, VOU A LOUCURA COM ESTAS FANTASIAS: FILHA DANDO PARA O PAI,TIO COMENDO SOBRINHAS, ETC. ENTAO GOSTARIA QUE VOCÊ QUE É NOVINHA E JÁ TIVERAM OU NÃO, UM RELACIONAMENTO OU QUEIRA CONHECER, VAMOS BATER UM PAPO SAFADO, EU ADORARIA CONTAR OS MEUS E SABER O DE VOCÊ.
GOSTARIA DE UM PAPO SAFADINHO, MAS QUE SERA UM SEGREDO ENTRE NOS, VOCÊ PODE CHAMAR SUA IRMÃ,PRIMA,VIZINHA, QUEM QUISER MAS TEM QUE SER MENINAS E NOVINHAS, EU GOSTO MUITO NINFETINHAS SAFADINHAS E SAPECAS.
MEU APELIDO É “DINHO” ADORORO MENININHAS COM BOCETINHAS PEQUENA E APERTADINHAS, QUE GOSTE DE COROA COMO EU, EU NÃO SO GOSTO DE PEITINHOS COMO ADORO UMA MENINA SAFADINHA SE EXPONDO PARA MIM, ENTRE EM CONTATO COMIGO:
[email protected]

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit



Kiara – Minha prima safada e putinha!

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit

Dezembro de 2009, havia combinado com minha prima mais nova Vanessa durante o ano de passarmos as festas de final de ano juntas, pois com esta agitação de estudos e trabalhos de faculdade, fazia bem tempo que não nos víamos, mas nos falávamos muito por telefone e na internet pelo Skype. Um belo dia criei coragem e lhe contei ao telefone de meu segredinho em família: “Prima, sabe o Flávio?”, ela um pouco confusa respondeu perguntando: “O Flávio, nosso primo?”, “O que tem ele?”, dei uma risadinha para quebrar o gelo e disse: “Nós estamos transando, já tem um tempinho, mas ó, era segredo meu e dele e estou te contando”, ela já demonstrando animação, logo disse: “Bem que tenho percebido você diferente, com uns assuntos fora do normal, e você só me conta isso agora?”, eu ainda risonha lhe respondi: “É que havíamos combinado de ser só nosso segredo”, neste instante fez-se um silêncio no telefone e ela me confidenciou: “Acredita que eu ainda sou virgem?”, em seguida respondi para ela: “Está falando sério?, você ainda não fez nada?”, ela me respondeu: “O Rodrigo, meu ficante, só tocou em mim por debaixo das roupas, nos seios, no meu bumbum e na minha bucetinha”, o papo foi rolando e acabamos ficando bem excitadas, contei para Vanessa tudinho que o Flávio já havia feito comigo, e ela ficou deslumbrada com tudo que eu ia contando em detalhes, e ao final combinamos algo bem gostoso para o nosso encontro de final de ano, quando ela me pediu: “Queria que você me ensinasse tudo isso que está me contando, você me ensina?”, eu um pouco surpresa lhe respondi: “Aii priminha, será uma delícia poder te ensinar tudinho, na sua vinda aqui para passar o final de ano, vamos nos divertir muito”.

O ano foi passando e logo chegaram as festas de final de ano. Minha prima Vanessa chegou na madrugada de quinta-feira, dia 24 e iria ficar em minha casa até a outra semana, indo embora só do domingo dia 3 de janeiro. Sendo assim passaríamos muitos dias juntas e poderíamos matar toda nossa saudade. Passamos aquele dia colocando nosso papo em dia, ficamos boa parte do dia no meu quarto, onde contei para ela em detalhes tudo que estava acontecendo entre eu e o Flávio, nosso primo. Como era véspera de Natal, à noite outros familiares veio a nossa casa e até para a minha total surpresa, pois eu não sabia, o Flávio também apareceu, a Vanessa ao vê-lo não se conteve e foi logo abraçando e lhe desejando um feliz natal, fiquei só de longe olhando. Comemoração vai… comemoração vem, a noite passou e já era dia 25, passamos o dia juntas só assistindo filmes, vimos o “Avatar” de tarde, e de noite assistimos “Um Olhar do Paraíso”. Já era cerca das 20h quando o filme terminou e Vanessa foi tomar o seu banho, meus pais estavam se arrumando e saíram, deixando nos duas sozinhas. Vanessa ao sair do banho perguntou: “Cadê os tios?”, eu lhe respondi: “Acabaram de sair, foram assistir na Igreja à uma Cantata de Natal, e não vão jantar em casa, depois da Igreja vão sair com um casal de amigos para jantar fora”, dando um sorrisinho, lhe disse: “Vou tomar o meu banho, me espere no meu quarto”, tomei um banho bem gostoso e fui para o meu quarto só com a tolha enrolada em meu corpo.

Sem nenhuma cerimônia tirei a toalha e fiquei nuazinha na frente de minha prima Vanessa, ela arregalou os olhos e me disse: “Uhhh prima, que corpinho mais lindo!”, eu olhando para ela lhe disse: “É? Você acha?”, ela sorrindo respondeu: “Mas é claro, o Flávio deve se fartar nisso tudo aí”, eu sorrindo para ela vesti o meu baby-doll rosinha e ficamos na cama conversando, Vanessa vestia um conjuntinho bem levinho, um shortinho curto e uma blusinha até metade da barriga. Nossa conversa foi esquentando e de supetão ela disse: “Você me acha atraente?”, olhando bem nos olhos dela lhe respondi: “Claro prima, você é um docinho de amor!”, com carinha já de safada, ela perguntou: “Acha que os homens vão gostar de me comer?”, também com carinha de safada lhe respondi perguntando: “Só saberei se eu te provar, que tal agora, quer?”, ela já bem soltinha respondeu: “Quero!”, neste instante liguei o meu iPhone no meu Micro System e coloquei uma música da “Enya” para tocar, ambas já bem excitadas a este momento, nos abraçamos bem forte e começamos a nos beijar, primeiro de leve nos lábios e depois mais forte de língua, uma sentindo o gostinho da saliva da outra, estávamos na minha cama e ambas entrelaçamos nossas pernas uma a outra e ficamos ainda mais abraçadas e grudadinhas, continuamos beijando e nos acariciando, até que comecei a tirar a blusinha de Vanessa, deixando a mostra os seus peitinhos durinhos que naquela excitação já estavam bicudinhos iguais os meus, peguei com vontade seus peitinhos e apertei com tesão, ela deu uma gemidinha baixinho e disse cheia de tesão: “Aiii que delícia Ki, você pega e aperta muito gostoso”, ela em seguida começou a tirar a minha blusinha e ambas com os seios de fora, ficamos abraçadas para ambas sentirem os seios se tocando, e voltamos a nos beijar bem gostoso.

A esta altura nossa excitação estava no clímax máximo e uma foi tirando o shortinho da outra, quando ambas ficamos seminuas, só de calcinha. Comecei a beija-la pelo pescoço, deixando ela toda arrepiadinha, até chegar nos seios, onde cai de boca bem gostoso, lambendo, chupando, sugando e mamando nos biquinhos durinhos, ela estava enlouquecida e já começando a entrar em transe, quando coloquei minha mão dentro de sua calcinha e pude sentir a sua bucetinha todinha meladinha e completamente lisinha, fui passando um dedo entre os lábios fechadinhos, em movimentos para cima e para baixo, fazendo os lábios da bucetinha de Vanessa abrir e fechar, com os olhinhos fechados ela disse: “Aiiii Ki, que delícia, continue… não pare, estou me sentindo nas nuvens!”, ela continuou com os olhos fechados e parecia que estava entrando em transe, seu corpo começou a tremer descontroladamente e foi quando ela me abraçou ainda mais forte e disse: “Estou gozando, aiiiii que loucura!”, em seguida ela ficou molinha nos meus braços, toda relaxada e dengosa, tirei minha mão de dentro de sua calcinha e com os dedos todos meladinhos, coloquei em minha boca e lambi e chupei tudinho, dando um pouquinho também para Vanessa chupar, em seguida voltamos a nos beijar gostoso na boca, quando eu lhe disse ao pé do ouvido: “Priminha, quero chupar a sua bucetinha virgem e meladinha, quero agora sentir você gozando na minha boca!”, logo ficamos ambas em pé sobre a cama e uma foi tirando a calcinha da outra, ficamos nuazinhas, tesudinhas, gostosas e safadas.

Vanessa e eu deitamos na cama, ela por baixo e eu por cima, ambas sentindo o calor e o suor de nossas peles grudadas de desejos, comecei enchendo Vanessa de beijos, no rosto, na boca, na nuca e fui descendo, até que cheguei aos seios, onde caprichei uma mamada bem gostosa, lambendo todo o seio e sugando os biquinhos, ia fazendo gostoso e sentindo Vanessa dar uns gemidinhos, fui descendo mais, agora pela sua barriguinha, dei uns beijinhos no seu umbiguinho e cheguei em sua bucetinha quente e toda meladinha. Vanessa reganhou bem as pernas e pude sentir o cheirinho do tesão de Vanessa, comecei dando beijinhos nos lábios por fora, o grelinho dela estava todinho para fora da buceta, com a língua bem levinha, comecei lambendo devagar e fui aumentando os movimentos aos poucos, Vanessa começou novamente a tremer e a gemer mais alto, foi quando que com dois dedos, separei os lábios da bucetinha de Vanessa, deixando ela todinha reganhada, sua bucetinha era linda, toda rosinha por dentro e na entradinha vi o seu cabacinho, lacrando e cobrindo toda a entradinha de sua buceta, com a ponta da língua fui passando em movimentos circulares em seu grelo já completamente durinho, e ao mesmo tempo também ia passando de levinho a ponta da língua na entrada de sua buceta, lambendo o seu cabacinho, quando Vanessa já sem controlem gemendo muito, falou: “Enfia sua língua todinha em mim, quero sentir ela rompendo o meu cabaço!”, a tentação foi grande, mas não poderia fazer tal ato, e lhe disse: “Calma meu doce, o seu cabacinho vamos tirá-lo de outra forma!”, continuei mamando e chupando a bucetinha de Vanessa até ela não aguentar mais e gozar bem gostoso na minha boca, estava delicioso sentir o meladinho doce do gozo dela em minha boca, lambi tudinho e deixei sua bucetinha toda limpinha.

Com Vanessa ainda deitada, fui para cima dela e me posicionei sobre sua boca, com as pernas bem abertas, lhe disse: “Agora você vai provar pela 1ª vez uma bucetinha meladinha na boca, põe a linguinha para fora que eu vou sentar bem gostosa na sua cara ”, ela de olhos arregalados olhando fixamente para minha bucetinha toda lisinha, colocou a língua para fora e bem devagarinho fui sentando em sua língua, esfregando minha buceta melada em toda a boca de Vanessa, fazia movimentos circulares, rebolando e hora mexia pra cima e para baixo, fazendo a língua de Vanessa percorrer toda a extensão de minha bucetinha, do grelo até a entrada, quando chegava na entrada eu forçava para baixo fazendo a língua de Vanessa penetrar bem gostoso a entrada da minha buceta, ela estava louca com aquilo e me segurou na cintura me puxando para baixo, para fixar e penetrar ainda mais a língua dentro de mim. Estava delicioso, quando Vanessa ousadamente começou a esfregar a ponta do dedo no meu cuzinho e foi bem devagar penetrando, me senti nas nuvens com aquela sensação de dupla penetração, (sua linguinha na minha buceta / seu dedinho no meu cú), fechei os olhos e falei baixinho gemendo: “Priminha safada, continua, que eu vou gozar bem gostoso na sua boca, aiiiii que delicia que tá isso!”. Não demorou muito, entrei em transe e senti o Nirvana subindo pelo meu corpo, meu corpo tremia todinho e gemendo feito uma putinha no cio, gozei gostoso na boquinha de Vanessa, deixando sua boca e seu queixo todinho meladinho do meu gozo. Vanessa para me deixar ainda mais louca, mesmo depois deu ter gozado, tirou a língua de dentro de mim e começou a me lamber igual uma cachorrinha, lambia todo o meladinho que escorria da minha bucetinha.

Depois de um tempinho já com o fôlego recuperado, deitamos uma ao lado da outra, de mãos dadas e olhando para o teto da parede, ficamos ali paradas e inertes por um tempinho, até que me virei e Vanessa também se virou, nos abraçamos, entrelaçamos nossas pernas e falei ao ouvidinho de Vanessa: “O que achou da sua primeira experiência sexual?”, Vanessa respondeu baixinho: “Foi maravilhosa, nunca poderia imaginar que seria tão intenso e tão prazeroso, vou querer mais, você me fez viciar já na primeira dose!”, ela deu um sorrisinho e começamos a nos beijar gostoso na boca, uma pode sentir na boca da outra o gostinho do gozo, do tesão, do desejo, senti na boca de Vanessa o gostinho da minha buceta e do meu meladinho e Vanessa sentiu em minha boca o gostinho de sua buceta e do seu meladinho, foi um beijo de língua bem gostoso e demorado.

Em seguida fomos tomar juntas um delicioso banho, liguei o chuveiro bem quentinho e ambas molhadinhas, começamos a nos banhar, peguei a esponja macia umedeci com um delicioso sabão líquido e comecei a ensaboar Vanessa, passava bem de leve e com delicadeza a esponja por todo o corpinho de Vanessa, começando em seus ombros, descendo pelas suas costas e indo até a sua bundinha gostosa e suas pernas bem torneadas, depois fui subindo pela frente, ensaboando suas pernas e chegando até sua bucetinha, onde passei deliciosamente a esponja com delicadeza, como se estivesse acariciando, depois subi gostoso pela sua barriguinha e cheguei aos seus seios durinhos e bicudinhos, ensaboei com delicadeza e desejo, eu ia ensaboando e Vanessa ia falando e elogiando: “Ki, nunca tomei um banho tão gostoso em toda minha vida, quero te ensaboar também, todinha, vem aqui, agora é minha vez”, me rendi aos seus pedidos e da mesma forma que eu havia feito nela, ela fez em mim, me ensaboando da cabeça aos pés, e dos pés à cabeça, ficamos mais um pouquinho debaixo do chuveiro quentinho e em seguida uma enxugou a outra, usamos a mesma toalha. Voltamos para o quarto e disse para a Vanessa: “Vem cá que agora vou hidratar esse seu corpinho lindo”, ela me olhou nos olhos, arrepiou todinho e me disse: “Aiii, está falando sério? Quero muito!”, com Vanessa peladinha no meu quarto, fui até o meu closet e busquei o meu “Berry Kiss” da Victoria’s Secret, abri a tampa e deixei Vanessa sentir o aroma de framboesa selvagem e pralinê (creme com nozes), ela ficou louca, derramei um pouco em minhas mãos e fui passando em todo o corpinho tesudo e gostoso de Vanessa, fui passando e massageando ao mesmo tempo, caprichei na massagem em seus seios, no bumbum, nas pernas e na bucetinha. Vanessa ficou toda hidratada e cheirando a framboesa com pralinê, quando terminei falei para ela: “Pronto, agora você está igual uma boneca, linda cheirosa e gostosa!”, ela sorrio e pediu para passar também em mim, não resisti ao seu pedido e deixei Vanessa me hidratar todinha, ela passava com delicadeza e suavidez, ela tinha mãos de fada, de tão leve e delicada, foi delicioso sentir aquilo. Em seguida ambas vestimos nossos pijamas de dormir, vesti novamente o meu baby-doll rosinha e Vanessa vestiu novamente o seu conjuntinho bem levinho, um shortinho curto e uma blusinha até metade da barriga, e ficamos na cama conversando bobeiras e sacanagens.

Ao cair da noite, adormecemos uma nos braços da outra e dormimos juntas a noite toda. No dia seguinte ao café da manhã, minha mãe perguntou como foi nossa noite, se havíamos aproveitado bastante, respondemos que assistimos muitos filmes, TVs e conversamos bastante, e demos uma risadinha… minha mãe mal sabia o que de fato aconteceu em nossa noite.

Bom pessoal, foi assim que eu e minha prima Vanessa tivemos nossa primeira experiência sexual juntas, ambas aprendemos muito uma com a outra, e aprendi a gostar de chupar uma buceta meladinha e de ficar tarada por uma mulher, não deixem de ler a sequência de outros contos.

Se alguma garota ou mulher quiser trocar experiências e saber mais sobre mim me escrevam e se tiver alguma garota que tenha também iniciado a sua vida sexual com o primo, adoraria trocar mails.

Me escrevam: [email protected]
Meu Face: www.facebook.com/kiara.murakami.7

Beijos com carinho Kiara!

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit



Kiara – Adorei dar o meu cuzinho!

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit

Durante um bom tempo, meu primo e eu ficamos aproveitando deliciosamente cada momento juntos, estava adorando conhecer as delícias do sexo, ele me ensinava tudo direitinho e eu estava adorando tudo, cada dia ele me comia em uma posição diferente, de todas as posições que ele me comeu, eu adorei a posição que eu fico de 4 com as pernas bem abertas, assim eu consigo sentir toda a penetração e a primeira posição, que foi a posição que ele tirou a minha virgindade, que foi aquela que eu fico por cima cavalgando no cacete dele.

Um dia ele me disse que seria interessante eu conhecer bem as fases do meu corpo, assim poderíamos transar mais seguros e sem o uso da camisinha. Ele me disse que em geral a mulher tem um ciclo menstrual de 28 dias, sendo que no 14º dia depois da menstruação a mulher entra no período fértil do ciclo. O meu ciclo menstrual na época não era regular, às vezes eu nem menstruava e às vezes eu menstruava em um período de tempo muito curto, no primeiro mês logo que ele me explicou tudo sobre menstruação, eu fiquei prestando atenção e depois de uns 10 dias eu menstruei, a minha menstruação não durava 3 dias, no 4º dia ele me disse que não tinha perigo de transarmos sem camisinha, foi nesse dia que senti pela primeira vez a porra do meu primo todinha dentro da minha buceta.

Foi em uma sexta-feira, eu havia menstruada na terça, assim que meu primo chegou em minha casa para começarmos a aula eu disse para ele: “Hoje terminou a minha menstruação!”, ele disse: “Então hoje a gente pode transar sem precisar usar a camisinha!”, logo perguntei: “Vamos transar agora ou depois da aula?”, ele respondeu: “Vamos transar depois da aula, pois você amanhã tem prova e não podemos dar mole para os estudos!”, a aula foi passando e eu estava super ansiosa, quando terminou a aula começamos a beijar e logo um foi tirando a roupa do outro, como sempre gostamos de fazer, ele me disse: “Hoje vou chupar a sua buceta bem aqui na cadeira mesmo, abra bem as pernas e deixa ela bem abertinha para mim!”, separei bem as minhas pernas e com a minha mão direita fui abrindo os lábios da minha buceta para o meu primo mamar bem gostoso.

Ele ficou me chupando uns 10 minutos até que eu gozei loucamente na boca dele e pedi bem tarada: “Flávio, coloca esse cacete duro na minha boca, me deixa molhar ele todinho para você poder enfiar ele bem gostoso na minha buceta!”, ele ficou de pé em frente à cadeira e eu saí da cadeira e fiquei de joelhos em frente a ele, aos poucos fui engolindo e saboreando aquele cacete delicioso, deixando ele todinho molhadinho para mim, chupei por uns 5 minutos, quando ele me perguntou: “Como você quer ser penetrada?”, eu respondi: “Me come de 4, adorei aquela posição, o seu cacete entra muito gostoso!”, fique de 4 na beira da cama e abri bem as minhas pernas, meu primo veio por trás e começou a penetrar, é muito gostoso sentir a minha buceta toda se abrindo para receber aquele cacete duro e delicioso, assim que ele penetrou todinho, meu primo ficou beijando a minha nunca e dizendo no meu ouvido: “A sua buceta já engoliu o meu cacete todinho!”, eu disse: “Está uma delícia, estou gostando mais sem camisinha do que com camisinha, parece que o seu cacete está deixando a minha buceta ainda mais molhadinha de tesão!”, ele foi me comendo bem gostoso até o momento que ele disse: “Prepara a sua buceta para ela engolir a minha porra todinha, igual você faz com a boca!”, quando ele me disse isso, eu fiquei louca de tesão, ele penetrou o cacete todinho e eu senti bem gostoso o pau dele contraindo dentro da minha buceta e derramando toda a porra bem quentinha dentro de mim, foi delicioso, quando ele terminou de gozar, ele me disse: “Deita de frente com as pernas abertas, para você poder ver a minha porra saindo da sua buceta!”, assim que ele tirou o cacete de dentro de mim, eu rapidamente me virei e abri bem as minhas pernas, ele ficou pertinho da minha buceta como se fosse me chupar e eu me curvei um pouco para ver toda a porra dele sair de dentro de mim, aos poucos a entradinha da minha buceta foi ficando branquinha e a porra foi escorrendo, fui ficando louca e tarada com aquela cena e disse: “Essa porra deve estar bem docinha!”, meu primo perguntou: “Quer beber ela todinha?”, respondi para ele: “Quero sim, como podemos fazer?”, ele me perguntou: “Onde tem uma colher aqui na sua casa?”, respondi bem rápido: “Em cima da pia da cozinha!”, ele correu para pegar a colher e voltou rápido para o quarto, a porra que já estava escorrendo pelas minhas pernas, ele foi colhendo e deixou a colher logo abaixo da entradinha da minha buceta, a porra ia saindo da buceta e caindo dentro da colher, no momento que a colher já estava bem cheinha, ele me disse: “Abra bem a boca que o seu priminho vai te dar o seu leitinho na colherinha hoje!”, fiquei muito tarada e tesuda, abri bem gostoso a minha boca e aos poucos fui saboreando aquela porra quentinha que havia acabado de sair de dentro da minha buceta, ela estava bem cremosa pois também tinha um pouco do meu gozo, bebi todinho e o resto da tarde ficamos juntos conversando sobre tudo que havia acontecido naquela tarde de sexta-feira.

De segunda-feira até à quinta-feira, meu primo comeu a minha buceta sem camisinha e na tarde de sexta-feira ele me disse: “Hoje já começa a ficar um pouco perigoso transar sem a camisinha, pois o seu ciclo não é muito regular!”, aí eu disse: “O que podemos fazer para não usarmos mais a camisinha?”, ele respondeu: “Só não vai ter perigo se fizermos sexo oral ou no caso de penetração, ao invés de fazermos na buceta, fazermos no seu cuzinho, o que você acha?”, logo respondi perguntando: “Será que meu cuzinho, aguenta o seu cacete?”, meu primo respondeu: “Aguentar ele aguenta, no início vai doer um pouco igual foi com a sua buceta na primeira vez, até ele acostumar com o volume do meu pau, quer experimentar?”, respondi para ele já com cara de tarada: “Quero sim, mas vai com muita calma e vamos fazer como da primeira vez na buceta!”, logo depois da nossa aula começamos com as nossas carícias e dessa vez ele me disse: “Hoje você vai gozar de uma forma diferente!”, perguntei: “Como irei gozar priminho gostoso?”, ele respondeu: “Você vai gozar com o meu pau todinho enterrado dentro do seu cuzinho!”, assim que ouvi essas palavras dele, minha buceta ficou toda molhadinha, ele me colocou na cama deitada e ficou um tempinho comendo a minha boquinha e dizendo: “Isso mesmo minha coisinha gostosa, deixa o meu cacete bem molhadinho para o seu cuzinho!”, cada vez que ele falava isso eu chupava com mais vontade e pau dele, com o cacete bem duro e todo dentro da minha boca ele me perguntou: “Você tem algum óleo ou creme que você passa no seu corpo?”, ele tirou o cacete da minha boca e eu respondi: “Tenho sim, eu tenho um óleo muito gostoso que passo todos os dias em meu corpo!”, saí da cama e fui ao meu guarda-roupas para buscar o óleo, ele passou um pouco em toda a extensão do pau e lambuzou a entradinha do meu cuzinho, aos poucos ele foi penetrando com cuidado o meu cuzinho com o dedo indicador até enterrar o dedo todinho dentro de mim, e me perguntou: “Está gostando?”, respondi com todo tesão: “Se o seu pau entrar tão gostoso no meu cuzinho como entrou o seu dedo, vou adorar dar o meu cuzinho assim como adoro dar a minha buceta!”, ele aos poucos tirou o dedo do meu cuzinho e ficou na mesma posição de quando ele tirou o meu cabacinho, empinou bem o pau e eu fui por cima para ir controlando a penetração no meu cuzinho, encostei a cabecinha do pau na entrada do meu cuzinho e fui forçando a entrada, fui sentindo o meu cuzinho se abrindo e nesse momento senti um pouco de dor, meu primo foi me acalmando e disse: “Vai bem devagar e quando penetrar o pau todinho você vai ver que a dor irá passar!”, ia ouvindo o que ele me dizia e com os olhos fechados ia descendo cada vez mais, na metade do pau dele a dor já dava lugar ao tesão e comecei a sentir mais prazer do que dor, fui descendo mais até que consegui encostar o meu bumbum todinho no colinho dele, ele me disse: “O seu cuzinho é bem guloso, conseguiu engolir todo o meu cacete!”, eu toda tarada de tesão disse: “O meu cuzinho aprendeu com a minha buceta!”, ficamos trocando carícias e ele com o pau todinho enterrado no meu cuzinho ficou uns 3 minutos beijando a minha boca e perguntou: “Quer gozar com o meu pau todo no seu rabo?”, respondi com cara de tarada: “Quero sim!”, logo ele foi me explicando com iríamos fazer: “Você vai masturbando a sua buceta, enquanto eu fico com o meu pau todinho no seu cuzinho e vou ao mesmo tempo chupando os seus peitinhos durinhos!”, fiquei cheia de tesão e comecei a me masturbar sentindo bem gostoso o pau dele todinho no meu cu e ele ainda chupava deliciosamente os meus peitinhos que nessa idade cabiam direitinho dentro da boca dele, ficamos nessas carícias gostosas durante uns 10 minutos, quando eu disse para ele: “Vou gozar bem gostoso, enterra mais o seu pau no meu cu que eu estou gozando!”, no momento que eu gozava, ficava contraindo a minha buceta e também o meu cuzinho e meu primo o tempo todo que fiquei gozando ele dizia: “Goza bem gostoso, logo o seu cuzinho vai provar toda a minha porra!”, quando terminei de gozar continuei no colinho dele com o pau todo penetrado no meu cuzinho e ficamos beijando bem gostoso.

Depois de um tempinho naquela posição deliciosa eu perguntei: “Quer comer o meu cuzinho de 4?”, meu primo beijou a minha boca bem gostoso e respondeu: “Quero sim minha doçura, dou deixá-lo bem taradinho e louro para engolir a minha porra!”, aos poucos fui saindo de cima do colinho dele e nesse momento senti um pouco de dor no momento que o cacete dele ia saindo do meu cuzinho, quando já tinha tirado todo o pau de dentro de mim, meu primo olhou para o meu cuzinho e disse: “O seu cuzinho já está se acostumando com a grossura do meu cacete, você está sentindo ele todo dilatado?”, respondi para ele passando um dedo no meu cuzinho: “Estou sentindo sim, ele está bem dilatado!”, fiquei bem gostosa de 4 na minha cama, abri bem as pernas e com as duas mãos fui abrindo o meu bumbum e deixando o meu cuzinho todo exposto, meu primo passou mais óleo em toda a extensão do pau e um pouco mais na entradinha do meu cuzinho e disse ao começar a penetrar o cacete dele novamente em meu cuzinho: “Vai saboreando novamente o meu cacete com o seu cuzinho gostoso!”, nesta segunda penetração quase nem senti dores, meu cuzinho já estava bem dilatado e o cacete do meu primo deslizou gostoso para dentro do meu rabo, logo que ele penetrou tudo eu pedi: “Deixa eu rebolar com o seu pau no meu cu como eu gosto de fazer quando você penetra a minha buceta de 4!”, meu primo com o pau bem gostoso dentro de mim disse: “Vai minha gostosura, rebola gostoso com esse pau todo no seu rabo!”, fiquei rebolando bem gostoso e sentindo o cacete do meu primo todo enterrado dentro de mim e às vezes tentava fazer um vai e vem, penetrando e tirando o pau de dentro do meu cu, eu estava muito tarada e com a buceta toda molhada de tesão.

Nesse momento, meu primo começou a meter no meu cuzinho como se estivesse na minha buceta, ele começou devagarzinho e foi acelerando os movimentos aos poucos, dizendo: “Vou gozar dentro do seu cuzinho e irei deixar ele cheinho de porra!”, eu ficava louca e empinava mais o meu rabo para ele me comer mais gostoso, quando ele penetrou o cacete todinho no meu rabo e disse: “Minha fofura, estou gozando dentro do seu cu, que cuzinho delicioso, olha como ele engoliu todo o meu cacete para beber a minha porra!”, eu tarada de tesão só sentia o saco dele batendo na minha buceta e também sentia o cacete dilatando dentro do meu rabo, meu primo ainda ficou um tempinho com o pau dentro de mim e aos poucos foi tirando e fui sentindo como o meu cuzinho ficou molhado, logo perguntei: “Durante esse tempo que você não pode comer a minha buceta, você vai ficar comendo o meu cuzinho?”, ele respondeu com um beijo suculento nos meus seios: “Vou sim meu amor, e quando você sair do período fértil, eu volto a comer a sua buceta novamente!”.

Como já era um pouco tarde e meus pais já estavam para chegar, vesti a minha roupa e despedi do meu primo querido com um beijo bem gostoso e ele me disse com um sorriso bem safado: “Na segunda-feira a gente continua a nossa deliciosa aula, te adoro minha gata gostosa!”.

Meu pais chegaram depois de um tempo, assim que eles chegaram eu fui tomar um banho e no banheiro quando eu fui tirar a minha calcinha, ela estava cheia de porra que havia escorrido do meu cuzinho, tomei o meu banho e aproveitei para lavar a minha calcinha.

À noite ao deitar na cama fiquei pensando como foi gostoso dar o meu cuzinho.

Bom pessoal, foi assim que meu primo tirou a virgindade e comeu bem gostoso o meu cuzinho e deixou ele tarado por um cacete molhadinho e tesudo, não percam os meus próximos contos que estarei relatando na próxima semana – não deixem de ler a sequência de outros contos, em meu quinto conto, irei relatar como conheci um Motel e passei uma noite inteirinha com o meu primo. Se alguma garota ou mulher quiser trocar experiências e saber mais sobre mim me escrevam e se tiver alguma garota que tenha também iniciado a sua vida sexual com o primo, adoraria trocar mails.

Me escrevam: [email protected]
Meu Face: www.facebook.com/kiara.murakami.7

Beijos com carinho Kiara!

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit