Blog


Transei Passeio de Escuna com a Esposa

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit
  • Fetiche: Exibindo a Esposa;

  • Personagens: Bodiar;

  • Características:

    • Peitinhos durinhos,

    • anal;

Olá galera sou Bodiar, muito obrigado pelos leitores, quero agradecer a todos. Vou responder cada comentário, e enviarei fotos pelo e-mail.

Sou casado a 14 anos e de tanto Eu insistir com minha esposa Ela começou a realizar minhas fantasias.

Sempre disse a Ela que gosto de exibi La a outros homens.

Ela reluta com isso mas faz parte da minha fantasia. Já dei minha Fodas foras com muita mulher e disse também disse a Ela que poderia experimentar outro homem.

Ela: Vc esta louco não dou conta nem de vc.

Eu: Só pra vc experimentar

Ela: Não! Já basta o atrevido do Jony (caso que já relatei em outro conto).

Mas desta vez, depois da trepada no estacionamento, comecei a atiçá-la em outras aventuras e por incrível que pareça ela topou.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit



Sintonia Total com Italiano Gay

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit
  • Fetiche: Descobrindo prazer gay;

  • Personagens: Italiano e homem desconhecido;

  • Características:

    • Italiano,

    • Bem Humorado,

    • Belo Corpo;

Aconteceu quando eu estava viajando em Roma. Uma cidade linda, magnífica.

Conheci um pessoal legal no walking tour da cidade, depois do passeio acabamos combinando de nos encontrar em um pub no centro.

Foi um longo dia de caminhadas, à noite fui ao tal pub, só tinham vindo duas pessoas do grupo, uma delas tinha trazido um amigo italiano.

Um cara muito boa gente, nosso senso de humor era quase idêntico.

Ele olhava fundo nos olhos, achei graça, meio estranho. Passamos a noite bebendo, conversando, falando da mulherada e dando risada.

Muito gente boa mesmo, já parecia ser parte da minha família. Na hora de ir embora ele me chama pra gente dar uma volta pela cidade no dia seguinte, o que é uma excelente ideia, visitar uma cidade com alguém que mora lá e sabe onde ir e como evitar as caras armadilhas turísticas.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit



Sexo na Praia do Julião

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit
  • Fetiche: Sexo na Praia;

  • Personagem: Lívia e André;

  • Características Mulher

    • 20 anos;

  • Características Homem

    • 20 Anos;

Olá sou Lívia tenho 20 anos, namoro com o André a 3 anos que tem a mesma idade que eu…

Bom no começo de janeiro nós sempre viajamos pois é o único mês que conseguimos pegar nossas ferias do trabalho juntos. E então, sexta feira dia 01, nós arrumamos nossas malas e fomos para Ilha Bela no litoral Norte.

Chegamos na pousada pela tarde, quase anoitecendo. Resolvemos tomar um banho e ir pra praia e depois comer alguma coisa em um restaurante qualquer.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit



Perdendo a Virgindade com Namorado que Conheci na Internet

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit
  • Fetiche: Primeira vez com Namorado que Conheci na Internet;

  • Personagens: Laura e Eduardo;

  • Características:

    • 18 Anos,

    • 1,75 m de Altura,

    • Loira,

    • Corpo Malhado,

    • Corpo Bronzeado,

    • Marquinha de Biquíni,

    • Virgem;

Sou Laura. Tenho 18 anos.

Tenho 1 metro e 75 centímetros, sou loira, tenho corpo malhado e bronzeado com marquinha de biquíni.

Além disso, sou virgem!

Todas as noites me masturbo.

Adoro ver filmes eróticos na internet. Precisava de um orgasmo urgente!!

Todas as minhas amigas já tinham transado e eu ficava ouvindo aquelas historias e fantasiava como seria comigo.

Até que resolvi arrumar um namorado.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit



Fodendo Japonês com os Dedos

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit
  • Fetiche: Transando com Japones;

  • Personagens: Hiromi;

  • Características:

    • Magro,

    • Japonês,

    • Tesão Anal,

    • Fio Terra;

Conheci Hiromi numa sala de bate-papo, não recordo agora qual era o tema, como todos devem ter percebido, rsrs era japonês…

Conversamos por muito tempo falávamos muita sacanagem e começamos a fazer sexo virtual.

A certa altura resolvemos nos encontrar, na realidade eu não tinha prestado atenção ao fato dele ser mestiço, era da minha altura, um corpo magro.

Mas meus queridos, quando chegamos ao Motel, este homem me jogou na cama  com uma fome que me deixou surpresa.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit



Sozinha em Casa com o Ficante

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit
  • Fetiche: Sozinha em Casa com Ficante;

  • Personagens: Júlia (Juuh) e Lucas;

  • Características:

    • 16 Anos,

    • Novinha;

Olá, meu nome é Júlia, mas pode me chamar de Juuh. Tenho 16 anos.

No último fim de semana, aproveitei que meus pais estavam viajando e meu irmão mais velho tinha ido numa festa, e convidei meu ficante, Lucas, de 18 anos, pra ir até a minha casa assistir um filme (detalhe: era um pornô).

Ele topou na hora.

Assim que fui atender a porta, vi que o garoto não tirava os olhos do meu decote.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit



Transei no estacionamento com a esposa

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit

Ola pessoal estive ausente por um tempo por estar revendo uma forma de me retratar com os meus leitores, com novas aventuras.Quero confessar que fiz grandes amizades com vários leitores de todo Brasil, alguns me marcaram com seus elogios e comentários.Conheci uma mulher no estado do Paraná, não falarei a cidade para poder preservar a sua integridade, mas não cheguei ainda conhece La pessoalmente, mas nos falamos todos os dias via whatsapp, a coisa estava ficando cada vez mais feia, ela casada, com filhos, uma gata, nova, linda, de um corpo invejável, Eu confesso que já estava me preparando para ir visita La, só a distancia de 850 km era o maior obstáculo, depois a saudades que ficaria, classifiquei Ela com o planeta saturno, linda mas distante.Mas as minhas aventuras com minha esposa não pararam não, e vou relatar o que aconteceu na formatura da minha Irma.Foi realizada no teatro a cerimônia, local muito grande, estacionamento enorme sem guardas para cuidar dos carros somente na entrada.Isso já despertou a minha imaginação santa kkkk, e bem antes já comecei a arreta la estava linda de vestido social solto de seda, só dava para ver a marquinha da calcinha conforme andava, linda mesmo. Fomos tiramos a seção de fotos, e antes do começo da cerimônia tinha um teatro bem chato kkkkk, ai disse a Ela vamos la fora tomar um ar, Ela vamos na mesma hora, e já disse como tem homem te olhando NE, Ela já disse pode parar com isso, falei isso me da um tesão, e comecei a beija La, e já fui no seu ponto fraco, seu pescoço, e passando a mão em sua bunda e dava para sentir o fio dental, Meu que gostosa.Fomos do lado do carro bem distante de todos, tinha dado uma chuva antes, garoava chuva bem fina, ninguém por perto, comecei a excita La cada vez mais, só me lembro dela disse para com isso, mas o seu tesão era muito forte, sua respiração ofegante aumentava cada vez mais…….Foi quando tirei sua calcinha coloquei Ela de brusco no capo do carro, e tirei meu pau e fui dar uma penetrada, o sinto e o siper da calça, mais a cueca incomodava, Ela a vai me machucar.Pensei não foi fácil convece La a dar aqui fora, esta garoando meio escuro, Eu com tesão, pensei vou tira minha calça e a cueca, e só vou ficar com a calça nos pés, se caso alguém chegar Eu levanto.kkkkkkk.Tirei a calça, e Ela vc é maluco e se parece alguém? Já passei a Mao na bunda, e na sua boceta lisinha toda depilada, fui e coloquei meu pau em sua boceta e comecei a bombar ali mesmo, em cima do capo do meu carro, ao ar livre no estacionamento, após vários anos consegui realizar minha fantasia.Meu que tesão, e que gostoso, confesso que foi rápido e logo gozei, quando Eu ia tirar o pau pra fora para gozar, Ela não goze bem La dentro.E foi a gozada, masssss como se limpar agora? Como EU já tinha outros planos, peguei minha cueca e limpei meu pau, e sua boceta, Ela não! e agora? Eu disse da nada, e peguei sua calcinha e molhei no teto do carro, e Eu disse! Eu sem cueca e vc sem calcinha heh. Vc é doido? Vai ficar saindo porra e vai manchar meu vestido, falei vamos andando ate o banheiro ate La saiu tudo.Chegando La entramos já estava cheio, e perdemos o lugar, Eu com a calça social sem cueca muito esquisito, e Ela sem calcinha, caraka dava para ver que estava sem calcinha, e isso me deu mais tesão.Sentamos bem La trás, e já comecei a atisa La de novo, Ela pode sossegar seu facho , mas lembrei água mole pedra dura tanto bate como fura,o que Eu queria era transar dentro do teatro, mas não deu, só deu para Eu bater uma siririca nela, e Ela uma punheta em mim.Quando acabou fomos a um restaurante, e La muitos homens olhavam ela, e ela quase não saiu da cadeira, com vergonha por não estar de calcinha.Acabou fomos embora, e Eu arretando ela, e o seu tensão começou de novo, chequei e já passava das 01:30, falei quero comer vc no estacionamento do nosso prédio, vc é louco? Não e já sai do carro Ela tentou fugir, mas não deu tempo,comecei a come La ali, tem câmeras mas atrás do carro não pegou, confesso que comi muito ela no estacionamento do prédio, entramos em casa e fomos dormir, já não agüentava mais……………………Grato ao leitores.Tirei varias fotos dela. Email:[email protected]

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit



Primeira Vêz no Ménage à Trois (Garanhão Comendo Minha Esposa)

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit
  • Fetiche: Ménage à trois (Ménage a Três);

  • Personagens: Ana (Esposa), Marido e Jefferson;

  • Características:

    • Esposa;

Ela me olhou de um modo que nunca havia me olhado antes… havia paixão, cumplicidade e gratidão.

Sim, gratidão! Pensei naquele momento: “Eu sabia que ela queria!”

O Jefferson havia terminado de penetrá-la.

Senti seu pau ocupando espaço dentro dela, onde já estava alojado o meu…

Ela, de olhos fechados agora, parecia se concentrar na tarefa de receber dois homens ao mesmo tempo.

Não demonstrava sentir dor.

Então, ela arqueou o corpo, abrindo o máximo que podia o bumbum para auxiliar o Jefferson na tarefa de penetrar seu buraquinho apertado.

Virou se um pouco para trás e acariciou o púbis de Jefferson, olhando fixamente em seus olhos, como que à incentivá-lo e ao mesmo tempo demonstrar que estava gostando!

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit



Inversão no Sul de Minas

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit

Conheci Sandra pela internet. Pele clara, 1,70m, 58 Kg, pés lindíssimos! Trocamos emails por algumas semanas até que depois de conversarmos por telefone resolvemos nos encontrar pessoalmente. Fiquei pasmo! Seu olhar era penetrante, sua personalidade forte, uma mulher e tanto. Do alto de seus 30 anos era exatamente quem eu estava procurando. Desse primeiro encontro ficou a vontade de realizar fantasias, pois conforme tínhamos conversado por semanas, nossos interesses eram coincidentes. Mas esse encontro foi apenas para nos conhecermos, conforme combinamos. Sandra calçava um belo par de sandálias de tiras finas, nem baixa, nem alta, que deixava seus lindos pés 38 bem delineados, esmalte clarinho. Eram pés lindíssimos, perfeitos! Não pude deixar de fazer-lhe um elogio, no que ela agradeceu com um belo sorriso. Nosso encontro terminou com uma interrogação, pois conforme combinamos, era apenas para nos conhecermos, foi em local público, um barzinho e depois nos despedimos cada um com a dúvida se iríamos nos ver novamente. Essa foi uma condição imposta por Sandra. E eu jamais ousaria desobedecê-laPassaram-se duas semanas sem nenhum contato até que meu celular tocou numa segunda-feira logo no começo da noite. Era Sandra. A ordem foi clara, eu teria uma hora para espera-la na esquina indicada por ela, um lugar deserto naquela hora. Cheguei ao local com 10 minutos de antecedência. Foi uma longa espera. Logo um carro parou ao meu lado. Era Sandra. Ela abriu a porta e fez sinal para eu entrar no banco de trás. Mal entrei no carro e ela me disse que eu deveria obedecer todas as suas ordens, caso contrário não a veria mais. Seu carro tinha vidros escuros e ela me disse para deitar no banco. Obedeci a sua ordem. Da forma como eu estava não conseguia ver para onde estava me levando.Foram uns 20 minutos sem nenhuma palavra, até que o carro parou e ouvi um barulho de portão de garagem se abrindo. Mal o carro parou e o portão se fechou, Sandra ordenou que eu saísse do carro. Entramos e fomos direto para um quarto. Ela estava calçando um par de sandálias de tiras finas, só que bem alta. Sandra mandou me ajoelhar a seus pés e lamber a sola da sandália. Fiz como ela mandou, já louco de tesão. Lambi a sola até que ela mandou que eu retirasse suas sandálias e lambesse seus pés. Fiz como ela mandou. Meu tesão era enorme! Não acreditava que aquilo estivesse acontecendo comigo!Lambi seus pés, seus dedinhos, a sola, o calcanhar até que ela me atirou uma calcinha minúscula e disse para eu me despir, vestir a calcinha, mas só depois que ela saísse do quarto e que ficasse de quatro no chão com a cabeça voltada para o lado oposto ao da porta. Ela me deu um pedaço de tecido preto e mandou que eu amarrasse na cabeça de forma que não visse nada. Fiz como ela mandou, mas a espera foi longa, uns 20 minutos, até que ouvi um estalo e senti uma dor deliciosa na minha bunda. Sandra aplicava golpes lentos e descompassados na minha bunda. Só após um tempo percebi se tratar de uma sandália de borracha. Sua mão era pesada, firme. Os golpes eram dados de forma que era impossível prever quando seria dado o próximo. Meu pau estava duro que doía. Sandra me chingava de tudo quanto era palavrão, mas de forma doce e sacana, sem gritos. Sem escândalo. Não consegui me segurar e acabei gozando na calcinha. Após umas 40 chineladas ela parou. De súbito arrancou a calcinha e vendo que eu havia gozado me disse que iria me castigar por isso. Senti uma sensação estranha, pois apesar de ter gozado, com um pouco de dor, ainda sentia um prazer estranho, delicioso.Sandra cravou suas unhas na minha bunda, me arranhando todo. Minha bunda estava dolorida. Sandra aplicou algo gelado no meu cu e logo em seguida começou a forçar a entrada com um objeto que depois fui saber era um vibrador. Ela colocava e tirava. Meu pau ficou duro novamente. Após uns longos minutos assim ela arrancou a venda e me puxou pelos cabelos, levando minha boca até sua xoxota depilada, mandou que eu a chupasse. Lambi sua xana e seu grelo deliciosamente até que em pouco tempo ela emitiu um urro seco. Meu pau ainda estava duro. Ela mandou que eu me deitasse no chão de costas e passou a me massagear com o pés. Passava seus lindos pés por meu corpo todo, até que passou a massagear meu pau e meus testículos. Meu pau estava duríssimo. Ela então me disse que eu iria ser castigado por ter gozado sem sua permissão. Sem mais nenhuma palavra, ela apertou meu saco com seu pé. Urrei de dor! Uma dor indescritível e ao mesmo tempo deliciosa!Tudo terminado, Sandra mandou me vestir e em seguida me levou até a garagem da sua casa, que até hoje não sei onde fica, me mandando entrar no carro no banco de trás e me abaixando. Ela então me levou até o mesmo local onde havia me pegado e me mandou descer. Nunca mais a vi, nem consegui nenhum contato, quer por email, quer por telefone.Tenho 42 anos, moreno claro, olhos e cabelos castanhos, 1,80m, 80 kg formação superior, solteiro e sem filhos, bem apessoado. Procuro mulheres do Sul de Minas, região de Varginha, que curtam inversão, spanking leve, podolatria e que queiram alguém para amizade ou quem sabe realizar fantasias com grande possibilidade de relacionamento sério.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit



Caiu na rede é peixe

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit

Depois de uma bela manhã ensolarada começou a se formar nuvens escuras ao entardecer anunciando a tempestade que estava por vir. Aos poucos as famílias foram se retirando ate que a praia ficou praticamente deserta restando apenas duas amigas que se abrigaram na copa de uma arvore para fugir do vento e da chuva fina que começava a cair, não demorou muito para que a tormenta desce-se de uma só vez transformando o dia em noite, levou um pouco mais de vinte minutos como já era de se esperar de uma chuva de verão e novamente o sol se abriu como se não tivesse acontecido nada. Eu que também não havia ido embora porque precisava guardar o meu material de pesca, me abriguei em uma outra arvore e na escuridão daquela tormenta só me restava olhar para as duas amigas uma branca gordinha que usava um biquíni que mal cabia nela e a outra era uma preta magrinha e dona de uma bunda perfeita ou para a direção oposta dos ventos na esperança de que não demora-se muito para o vendaval passar.   Assim que o sol voltou timidamente a brilhar, pois já se aproximava das cinco da tarde, as duas amigas iniciaram uma seção de fotos, uma delas se deitou nas pedras fazendo pose enquanto a outra clicava e em seguida trocavam de lugar para que a outra também pudesse ser fotografada, reparei quando a magrinha desamarrou a parte de cima do biquíni e ficou olhando na minha direção, mas eu continuei enrolando o meu material de pesca como se não tivesse vendo nada, segura de que eu não estava olhando, ela criou coragem e botou os peitos para fora para que a sua amiga a fotografa-se, na foto seguinte ela desceu o biquíni rapidamente ate os joelhos e tornou a vestir. A gordinha protestou que ela havia sido muito rápida e que não tinha conseguido capturar uma boa imagem e meia indecisa com a minha presença ela relutava em tornar a abaixar o biquíni.   Eu já havia acabado de enrolar o meu material de pesca e só faltava puxar o barco para a areia quando me veio a idéia de oferecer para elas o meu barco como locação para as fotos, a principio senti um certo receio das duas, mas quando expliquei que dentro do barco elas ficariam mais abrigadas para tirarem as suas fotos mais sensuais, a gordinha pareceu favorável a idéia só que a magrinha travou, enquanto decidiam se iriam ou não fazer as fotos no meu barco eu percebi que as duas queriam tirar as fotos mais que uma só iria fazer se a outra fizesse primeiro e então para resolver o impasse eu sugeri que as duas fizesse ao mesmo tempo e que eu tiraria as fotos para elas.    Entramos no barco e eu afastei um pouquinho da praia buscando um resquício de sol quase as seis da noite que sobrepujava a montanha, eu comecei a clicar enquanto elas ainda se entre olhavam indecisas sobre qual das duas se despiria primeiro, sugeri que se deitassem sobre a rede de pesca para que a borda do barco protegesse a visão da nudez delas, mas a gordinha logo disse que aquela hora e naquela distancia ninguém iria ver nada. Elas começaram a fazer as suas poses ainda de biquíni logo a ousadia foi aflorando e os peitinhos foram aparecendo, as duas se abraçaram colando os mamilos uma na outra, depois começaram a dar selinhos e por fim quando se deitaram sobre a rede de pesca, a magrinha começou a mamar o peito da outra. Eu já estava completamente desorientado, de cacete duro e sem qualquer ângulo para bater uma boa foto, tudo o que eu via era a linda bunda da magrinha porque é difícil achar uma pretinha que não tenha um bundão, mamando os peito da outra e parte da xoxota rosada da gordinha, porque a magrinha estava enfiando a mão dentro do biquíni da gordinha, não demorou para que a magrinha fosse descendo com beijinhos no ventre da gordinha, ela tentou tirar o biquíni da gordinha mas ela segurou resistindo, então ela só colocou de lado deixando a sua xoxota rosada completamente exposta e começou a lamber. A luz do fleche já se fazia necessária porque a penumbra havia caído ao anoitecer e a pesar de ainda esta com uma boa visibilidade não era uma noite de lua. Elas trocaram de posição e a gordinha que estava por baixo, tirou o biquíni da magrinha e começou a lamber a xoxota dela, depois se virou de frente para mim e sentou com a sua xoxota rosada na cara da magrinha e me chamou. Quando me aproximei ela já foi logo botando o meu cacete para fora e abocanhou, chupou, chupou com a única intenção de deixar ele bem babado depois sem dizer nada arregaçou a xoxota da magrinha como um convite, eu me agachei, pincelei o cacete na entrada da xoxota dela e meti enquanto beijava a gordinha na boca. Entre um e outro gemido a magrinha parecia estar ficando sufocada com o gozo da gordinha que não parava de rebolar a xoxota na sua cara, ela empurrou a gordinha que saiu se jogando em cima de mim de modos que eu acabei ficando deitado no chão do barco, ela montou no meu cacete e ate que para uma gordinha ela se mexia muito bem, mas a delicia daquela posição era poder meter com a gordinha enquanto a magrinha lambia as minhas bolas e o rabo da gordinha, ela se enfiou entre as minhas pernas e hora eu sentia ela acompanhar com a língua no meu cacete o sobe e desce da gordinha e quando não estava sentindo a sua língua, sentia as unhas da gordinha me apertando, o que me levava a crer já que ela continuava entre as minhas pernas, que ela estava lambendo o anelzinho da gordinha. Sem o domínio da relação eu sentia que o meu gozo se aproximava e é claro que eu estava afim de meter mais um pouquinho naquela xoxota apertada da magrinha e logo tratei de sair daquela posição, mas o barco era pequeno para que nos ficássemos passando uns pelos outros sem o risco de virar e então a gordinha virou de quatro e a magrinha ficou por cima dela, deitada sobre as suas costas e literalmente eu tive as duas me servindo ao mesmo tempo. Meti o meu cacete na xoxota da magrinha e soquei ate sentir que ia gozar, depois tirei, abaixei um pouquinho e voltei a meter na xoxota rosada da gordinha, essa quebra no troca, troca de xoxota foi prolongando o meu ritmo e enquanto eu estava metendo numa a outra ficava se masturbando esperando eu retornar. Quando troquei de xoxota pela terceira ou quarta vez, a magrinha saiu rapidamente das costas da gordinha, deu uma cusparada no anelzinho dela e enfiou um dedinho, logo em seguida fazendo o vai e vem ela forçou passagem para mais um dedinho e depois guiou o meu cacete para o rabo da amiga, aquele rabinho era gostoso e parecia ser virgem, era tão apertado quanto a xoxota da magrinha, a gordinha parecia gemer de dor e eu fui empurrando cada vez mais ate que enterrei tudo, ela xingava muitos palavrões mandava eu gozar logo mais continuava de quatro e com o rabo empinado para receber o meu cacete no seu anelzinho. O prazer de meter naquele rabinho era tanto que eu não consegui segurar mais e acabei gozando no rabo da gordinha, a cada pulsada que o meu cacete dava expelindo a porra a gordinha me xingava dizendo para que eu goza-se mais, só que eu já havia gozado tudo mais ainda continuava pulsando o meu cacete no rabinho dela cheio de tesão, a magrinha que ficou assistindo a tudo com a cara quase colada no rabo da amiga, só esperou eu relaxar um pouquinho para sacar o meu cacete do rabo da gordinha e depois espremeu, espremeu ate ver a ultima gotinha de porra brotar na pontinha do meu cacete e então chupou dizendo que queria mais e em seguida enfiou a sua língua no rabo da gordinha que estava forçando a saída da minha porra do seu rabinho.    Depois que a magrinha lambeu a minha porra que escorria do rabo da gordinha eu pensei que já havíamos terminado e que era a hora de nos voltarmos para a praia, só que a gordinha virou para a amiga e falou que agora era a vez dela, eu fiquei meio sem entender com o que ela queria dizer com a vez dela, mas logo a magrinha insinuou que eu já estava flácido e que não agüentaria dar outra, e então a gordinha protestando me perguntou se eu também não queria meter no rabinho da amiga dela, é claro que a escuridão não as deixavam ver o brilho dos meus olhos porque desde de lá da praia que eu não tirava os olhos do rabo daquela magrinha, como toda pretinha a genética a fez com curvas perfeitas salientando ainda mais a sua bunda lisinha e quando ela ficou de quatro lambendo a xoxota da gordinha me deixou completamente excitado e doido para meter naquele rabinho. Na hora respondi para gordinha que seria um prazer e que se ela me desse uma outra chupada daquela o meu cacete subiria na hora, a gordinha não perdeu tempo e veio em minha direção se segurando pela borda do barco e caiu de boca no meu cacete que ainda estava em meia bomba, logo ela o deixou bem rígido e sem desculpas para a sua amiga fugir, a magrinha se acomodou sobre a rede e arqueou as pernas dizendo para que eu fica-se quieto e deixa-se o resto com ela. Depois ela segurou no meu cacete e o apontou no seu anelzinho, começou a rebolar o quadril e conforme ela ia rebolando o meu cacete ia lhe invadindo o rabinho pouco a pouco, novamente a gordinha protestava dizendo que estava escuro e que naquela posição ela não via nada, e veio por cima da magrinha e lhe socou os dedos na xoxota para se certificar de que eu estava metendo no rabinho da preta. A magrinha disse para a amiga ter calma que ela iria trocar de posição assim que o seu rabinho se acostuma-se com o meu cacete e foi exatamente o que ela fez, ela mandou que eu me deita-se na rede, virou-se de costas para mim e abaixou, acocorada novamente ela segurou no meu cacete e o conduziu para o seu anelzinho e foi se sentando suavemente ate enterrar todo o meu cacete no seu rabinho depois jogou o seu corpo para trás e começou a remexer com vontade a sua bunda, o meu cacete entrava e saia numa velocidade daquele rabinho que ate parecia que eu estava metendo numa xoxota, depois de algum tempo naquela posição a magrinha xingou um palavrão reclamando que eu não gozava e a gordinha veio dar umas lambidinhas na xoxota da magrinha para lhe estimular a continuar o único problema foi que quando ela diminuiu a intensidade da metida acabou prolongando o meu tempo de ereção e então eu pedi para trocar de posição porque se eu não mete-se com vontade eu ia demorar para conseguir gozar outra vez. A magrinha ficou de quatro e eu apontei o meu cacete no anelzinho dela e antes mesmo de eu pensar em meter ela já havia socado o seu rabinho no meu cacete, agarrado na cintura daquela pretinha eu socava com vontade vendo a sua bunda tremular e ela respondia empurrando o seu corpo contra o meu. Eu já estava quase gozando quando a magrinha fugiu dizendo que não agüentava mais tomar no rabo, eu ainda tentei lhe puxar de volta pela cintura mas ela se jogou para frente virando o corpo de lado e como eu realmente já estava quase gozando, acabei terminando o serviço na mão e dando um banho de porra na magrinha, mas quem se deliciou mesmo com esse banho, foi a gordinha que começou a lamber a minha porra espalhada pelo corpo da amiga e depois as duas ficaram se beijando, trocando de boca em boca os restos da minha porra enquanto eu conduzia o barco de volta para a areia.    Enquanto eu ainda puxava o meu barco para fora da água elas se despediram sem deixar os seus nomes, telefones ou uma das fotos, a única coisa que me deixaram foram essas doces lembranças, porque depois desse dia eu nunca mas as vi. 

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit