cunhada (5)


Comi minha cunhada depois da academia

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit

Olá, vamos aqui pra meu segundo conto real de incesto:

Minha cunhada Marília é a irmã mais velha de minha namorada, que ainda tem outra irmã do meio.

Marília é linda, morena cabelos negros e lisos, corpo perfeito, seios naturais grandes e bunda maravilhosa. Achava mto estranho o tratamento que tinha comigo(ela era noiva), sempre me mandava beijos e fazia bastante carinho.

Um dia agente estava na sua casa e minha namorada foi tomar banho assim que minha cunhada chegou da academia. Eu sou alucinado por roupa de malhar, marca perfeitamente suas curvas, minha namorada costuma demorar mt no banho e ficamos conversando.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit



Comendo Minha Cunhada Gostosa

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit
  • Fetiche: Cunhada Gostosa;

  • Personagem: Alex e Fátima (Cunhada) e Edson (Concunhado);

  • Características

    • 32 Anos,

    • Casado,

    • 39 Anos,

    • Morena

    • Muito Gostosa,

    • Simpática;

Olá amigas e amigos, esse é o meu primeiro conto espero que gostem!!!

Me chamo Alex, tenho 32 anos, sou casado há 2 anos e vou contar uma história que aconteceu comigo.

Sou concurseiro e vivo pulando de um órgão para o outro em busca de um salário melhor, porém sempre foquei em concursos na capital onde moro, que é Cuiabá-MT.

Em razão do estresse diário e para dar uma sossegada na vida louca da cidade grande, resolvi mudar drasticamente de vida e tentar um concurso para o interior.

Para minha sorte passei logo no primeiro que fiz e por coincidência para uma cidadezinha onde mora minha cunhada Fátima e seu marido Edson, um grande empresário da região.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit



Comendo a cunhada

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit

Escrevo este texto escondido da minha namorada, pois o que aconteceu envolve sua irmã, minha cunhadinha. Tudo aconteceu no dia 25 de fevereiro.

Estou já a três anos e três meses com minha namorada. Moramos juntos e somos muito felizes. Nesse tempo já conheci a maioria de seus familiares. Conheci primeiro suas irmãs e uma delas me chamou muita atenção. Aconteceu da seguinte forma. Num domingo chuvoso eu, meus pais e minha namorada fomos para a casa da irmã dela. Assim que chegamos fomos recebidos pelo marido e pela minha cunhada, e que cunhada. O nome dela é Cristina e seu marido, Pedro. Conversamos e passamos a tarde inteira com eles. Não podia deixar de admirar o corpo da minha cunhada. Ela usava um short curto com uma blusinha fina e decotada.

Na semana seguinte não tirava Cristina do pensamento, no banho resolvi até homenageá-la com uma punheta bem gostosa. Alguns meses depois combinamos um churrasco na casa deles. Pegamos as coisas no mercado e fomos para a casa da minha cunhada. Chegando lá fomos arrumar as coisas para o churrasco quando por trás de mim veio minha cunhada num vestido curto, quase babei de tesão. Como ela estava gostosa. Começamos o churrasco regado com cerveja, música e muito bate papo. Foi um domingo agradável.

O momento inacreditavel começa agora. Minha namorada trabalha numa firma, que devido a queda de produção, mudou o horário de quem trabalhava à noite, logo minha namorada passou a trabalhar das 14 às 22 horas inclusive aos sábados. E no dia 25 de fevereiro estava eu sozinho em casa fazendo um trabalho no computador quando alguém chama pela minha namorada. Quando saiu era Cristina. Ela vendo que minha namorada não estava achou melhor voltar outro dia, lógico que não deixei. Minha casa não é grande, uma cozinha, banheiro e o quarto. Minha cunhada entrou e a convidei para um suco ou refrigerante. Na cozinha começamos a conversar e logo minha cunhada ao invés de suco ou coisa assim quis uma cerveja. Começamos então a tomar cerveja. Comecei a pensar nas coisas que minha namorada disse sobre sua irmã, que ela não era feliz no casamento, que seu marido não fazia carinho nela e etc. Comecei com um papo mais malicioso mas ela logo saiu fora do assunto. Deixei quieto para não assustá-la. Como estava muito calor disse que iria tomar um banho e que ela ficasse a vontade. A cunhadinha então pede para ver a internet pois ela não tem em casa. A levei para o quarto e deixei a vontade. No banho minha pica estava feliz da vida mas achei melhor não bater nenhuma em homenagem a ela. Me enxuguei e coloquei um calção de tecido fino e sem cueca por baixo, afinal estava muito quente. Quando entrei no quarto minha cunhada estava pálida e sem graça. Como ela não sabe usar o computador ela não sabia sair da tela que olhava. Cristina assistia um filme de putaria.

– De desculpe D. eu eu…!

– Fica tranquila cunhada não somos adultos?

– Que vergonha!

– Relaxa!

Procurei tranquilizá-la sentando ao lado dela. Não podia deixar aquela oportunidade escapar.

– Conheço alguns sites muito louco quer ver?

– Para D.é feio isso!

– É nada! É mais comum do que você imagina!

– Tá bom vamos ver então!

Coloquei então alguns site de sexo anal, afinal eu adoro um cuzinho e vocês sabem disso. Minha cunhada nem piscava diante das cenas eu claro estava com a pica armada no calção e já nem me importava com a desaprovação de Cristina. A cada cena meu pau pulsava no calção. Cristina olhava disfarçadamente minha rola dura. Sem pensar muito fiquei de pé e mostrei o circo armado para ela. Minha cunhada fitou os olhos no calção e ameaçou ir embora.

– Não Cristina por favor não vá ainda!

– Já estamos indo longe demais D.!

– Por que você diz isso?

– Esse pinto duro aí!

– Como você quer que eu fique não vê que estamos assistindo um filme pornô?

– Eu sei mas estamos só nós dois aqui né!

– E o que tem? Vai dizer que você também não está excitada?

– Estou né acontece que você é namorado da minha irmã e…

– Para com isso relaxa!

Para aliviar um pouco o papo entrei no site casa dos contos e mostrei a ela meus contos. Ela então passou a ler. Percebi ela excitadissima com as histórias.

– Nossa D. cada história! São todos verdades?

– São!

Não aguentando mais peguei na mão da minha cunhada e levei no meu pau. Já me preparava para o tapa quando para minha surpresa ela segurou com desejo e fez um leve movimento.

– Quer ver Cristina?

– Não sei se devo!

Fiquei de pé e abaixei o calção. O cacetão apontou diante de seu olhos. Cristina olhava sem saber o que fazer. Sem demora aproximei o cabeção em sua boca e pedi:

– Chupa Cristina, mama minha rola!

– Eu nunca fiz isso. Meus marido nunca concordou de mulher fazer isso no homem!

– Vem chupa então, vai ser sua primeira vez comigo, vem!

– Tá bom só um pouquinho heim!

Coloquei minha rola na boquinha dela e comecei a movimentar. Cristina no começo não sabia como fazer mas aos poucos foi pegando o jeito.

– iiiisso cunhada…ssssssssss…haaaaaaaa…chupa gostoso chupa…

– Dá falta de ar D.!

– É só ir com jeito! haaaaaaaa…deliciaaaaa…

Peguei em sua cabeça e bombava como se fosse uma buceta. Que boquinha gostosa tinha minha cunhada.

– aaaaaaaaiiiii que boca gostosa cunhada!

– Hummm hummm hummm de devagar D.!

Vendo que mais um pouco iria gozar na boca da minha cunhada parei e a deitei na cama. Deitada passei a chupar sua bucetinha. Cristina delirava de prazer.

– AhhAAhhAhhAhhAAhhAhhAhhAhhAhhAhh…D. que língua gostosa! Meu marido nunca fez isso em mim…

Vendo que estava pronta para receber meu pau deitei sobre ela e coloquei o cacetão bem devagar. Sua buceta estava tão lubrificada que entrou deslizando.

– Ai que delicia cunhado! Come essa buceta come!

Depois de algumas socadas tirei o pau e gozei na barriguinha dela. Cristina olhava a porra melecando seu umbigo. Descansamos um pouco mas já me preparando para comer o cú dela. Ela vendo meu pau ficando duro de novo pergunta.

– Por que o pintão está levantando de novo cunhado?

– Vamos meter mais um pouco?

– Não. Tenho que ir embora!

– Só mais uma vez vai!

Levantei e coloquei um filme de sexo anal. Minha cunhada vendo o filme pergunta em seguida.

– Como essas mulheres conseguem dar o cú? Olha o tamanho do cacete do cara?

– É só ir com jeitinho!

– Os caras colocam o pau com tudo olha essa cena!

Nessas alturas minha rola pulsava de vontade de comer seu rabo.Minha cunhada logo percebeu minha intenção e diz:

-Ah não no cú não D.!

– Vai Cristina só um pouquinho deixa!

– Nunca fiz isso D.!

– Relaxa vou colocar bem devagar. Você vai acabar gostando vai ver só!

– Pelo filme parece gostoso mas tenho medo!

– Vem deixa te ajudar!

Fui colocando a cunhadinha de bruços e levantando sua bundinha. Ela por sua vez choramingava dizendo não mas no fundo estava querendo rola na bunda. Pequei um lubrificante e untei seu cuzinho e depois meu pau. Deitei sobre ela e encostei o cabeção. Cristina tentou sair mas foi em vão. Fui então empurrando bem devagar. Estava apertado, com certeza seu marido nunca comeu o cuzinho dela mesmo. Não tem problema eu faço esse sacrifício! Quando a cabeça entrou Cristina deu um grito.

– AAAAAIIII dói. Por favor pare!

Pensei em desistir mas Cristina abria a bunda dando a entender que não era para parar. Comecei um movimento bem lento e fui aumentando aos poucos.

– sssssssssssssss…aaaaaaaaaaaaaaaaaaaai que cú gostoso cunhadinha!

( plaft plaft plaft plaft…)

– Ai dói D. vai devagar vai…

– Que bundão gostoso da porra!

– Então come com vontade come cunhadinho safado!

( plaft plaft plaft plaft…)

Realmente o cuzinho dela além de apertado era quentinho. Coloquei ela de quatro na beira da cama e enfiei o pau no cuzão dela de novo.

– Ai cunhado assim eu vou chorar, sssssssss…ai que delicia…

A safada passou a rebolar no meu cacete. A cena era linda demais. Imagina um bundão virgem rebolando na beira da cama encacetado até o saco? Metia sem dó naquela bunda fantástica. Não aguentando mais segurar anunciei que iria gozar.

– Cunhada vou gozar no seu rabão bem gostoso!

– Goza meu tesão goza na tua cunhada!

– Vou HAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA…DELÍÍÍÍCIAAA…

O cuzinho dela recebeu toda minha porra. Ao tirar o pau era lindo a visão daquele cú arrombado e cheio de porra com um pouco de sangue. Pensei comigo lá se foi o cabaço do cú da minha cunhada!

– E então cunhada gostou?

– É, no começo doeu um pouco mas depois ficou gostoso. Safado heim, comeu o cú da cunhada!

Depois da foda fomos tomar um banho e no chuveiro ela fez um boquete bem gostoso para terminar a trepada. Nos despedimos e ela foi pegar o ônibus preocupada pois já era tarde. Quando nos vemos nos comportamos como se nada tivesse acontecido mesmo porque ela não quer atrapalhar meu namoro com sua irmã e ela não quer acabar com seu casamento. Claro que nunca vamos esquecer da foda que tivemos por mais que tentemos.

Espero que gostaram. Aguardo contato com mulheres que adoram uma bela trepada.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit



Comendo a Cunhada na Cama da Esposa

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit
  • Fetiche: Traçando a Cunhada na Cama Onde Transa com a Esposa;

  • Personagens: Rayane, Selma (a cunhada), Régis, Lília;

  • Características

    • Baixinha,

    • 1 metro e meio,

    • Seios Pequenos,

    • Gostosa,

    • Corpo Definido,

    • Corpo Malhado,

    • 36 anos;

 

Comecei a ser chantageado pela minha cunhada a partir do momento que ela descobriu o flerte entre eu e a Rayane, uma das alunas da academia onde estávamos malhando.

O fato é que a Selma estava passando por um período de carência porque Régis, o dono da academia, colocou-lhe um baita de um chifre com outra aluna do local.

Em contrapartida, minha cunhada não queria passar em branco, ainda mais que estava na seca.

Selma é irmã mais nova de minha esposa, também mulata, porém baixinha (um metro e meio de altura), seios pequenos e tirada a gostosa; corpo definido devido ao tempo de malhação, uma forma física impressionante e chamava a atenção por onde passava no alto dos seus trinta e seis anos.

Ela gostava de ser apresentável em qualquer circunstância. Já havia se insinuado para mim outras vezes, inclusive em minha casa; tanto é que Lília me relatou que sua irmãzinha andou espiando as nossas transas e lhe contou, cheia de tesão e inveja.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit



A Namorada do Meu Irmão

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit

Eric sempre ficava em êxtase ao ver sua cunhada.
Morena, de lindos cabelos negros, Camilla tinha uma beleza exótica. Seu corpo turbinado deixava qualquer homem sã louco. O movimento sensual de seu quadril era excitante. O bumbum empinado e avantajado o deixava fora de si. Desde quando a viu sem querer transando com seu irmão, Eric não conseguia esquecer aquela cena. Vê-la quicando e forma rápida e deliciosa sobre o membro de seu irmão, o deixou excitado. Sempre se pegava masturbando pensando de como seria aquele corpo sobre o seu, de sua boca sobre seu membro, chupando sem dó, de sua pele brilhante e cheirosa sobre suas mãos desesperadas. Ele sabia que aquilo era errado, afinal era a namorada de seu irmão, seu melhor amigo. Mas aquela cena era difícil de ser tirada da cabeça.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit