fudendo a cunhada (2)


Engravidando a Cunhada

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit
  • Fetiche: Engravidando a Cunhada;

  • Personagem: Cunhada;

  • Características

    • Cunhada;

Quando cheguei do serviço já a encontrei chorando na minha casa, a minha cunhada havia brigado com o seu marido e estava pedindo abrigo para a sua irmã por alguns dias.

Receber uma visita só altera o seu dia e não tem nada demais porém, receber um nova moradora na sua casa altera toda a sua rotina e inibi a sua privacidade.

Enquanto a minha cunhada residia na minha casa, a minha esposa se recusava a ter relações alegando que a sua irmã poderia ouvir as nossas intimidades e aquela nova convivência diária vinha mexendo com o meu libido sexual.

Quando eu chegava em casa via a minha cunhada com roupinhas curtas esparramada no sofá assistindo novela, sair do banheiro enrolada na toalha, ficar se admirando no espelho enquanto se penteava ou escolhia uma nova roupa e nos finais de semana ela e a minha esposa.

Ficavam de biquíni no quintal deitas ao sol para reforçar a marquinha enquanto eu assava o churrasco.

A falta de sexo estava me deixando louco e sem aguentar ficar olhando para elas fritando o rabo no sol.

Fui para o banheiro tocar uma para aliviar o tesão que eu estava sentindo em ver o rabo da minha esposa e da minha cunhada naqueles minúsculos biquínis.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit



Comendo a Cunhada na Cama da Esposa

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit
  • Fetiche: Traçando a Cunhada na Cama Onde Transa com a Esposa;

  • Personagens: Rayane, Selma (a cunhada), Régis, Lília;

  • Características

    • Baixinha,

    • 1 metro e meio,

    • Seios Pequenos,

    • Gostosa,

    • Corpo Definido,

    • Corpo Malhado,

    • 36 anos;

 

Comecei a ser chantageado pela minha cunhada a partir do momento que ela descobriu o flerte entre eu e a Rayane, uma das alunas da academia onde estávamos malhando.

O fato é que a Selma estava passando por um período de carência porque Régis, o dono da academia, colocou-lhe um baita de um chifre com outra aluna do local.

Em contrapartida, minha cunhada não queria passar em branco, ainda mais que estava na seca.

Selma é irmã mais nova de minha esposa, também mulata, porém baixinha (um metro e meio de altura), seios pequenos e tirada a gostosa; corpo definido devido ao tempo de malhação, uma forma física impressionante e chamava a atenção por onde passava no alto dos seus trinta e seis anos.

Ela gostava de ser apresentável em qualquer circunstância. Já havia se insinuado para mim outras vezes, inclusive em minha casa; tanto é que Lília me relatou que sua irmãzinha andou espiando as nossas transas e lhe contou, cheia de tesão e inveja.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit